Crise hídrica: Racionamento continua em quatro municípios da Grande Vitória

Crise hídrica: Racionamento continua em quatro municípios da Grande Vitória

Após três semanas de racionamento na Grande Vitória, que se completa nesta quinta-feira (13), o resultado obtido foi uma economia de 17% no sistema de abastecimento do Rio Santa Maria da Vitória, que fornece água para uma população de 580 mil pessoas dos municípios de Serra, parte continental de Vitória, parte de Cariacica e Praia Grande, em Fundão.

Essa economia, aliada às chuvas que ocorreram na última semana, além da gestão da vazão de água que sai da represa de Rio Bonito, tornou possível aumentar o volume deste reservatório, que no início do racionamento estava com 22%, para 25% da sua capacidade. Ao todo 948 milhões de litros de água foram economizados. Esse volume daria para abastecer o município de Serra por 20 dias ou 73 mil residências por um mês.

Desde o início da pior crise hídrica que já atingiu o Espírito Santo, a represa passou a ser operada também como reservatório de água do rio Santa Maria da Vitória, por meio de um Protocolo de Entendimentos entre EDP, Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema), Comitê de Bacia Hidrográfica do Santa Maria da Vitória.

Segundo o diretor de Engenharia e Meio Ambiente, Amadeu Wetler, durante essa última semana, a vazão de água no rio Santa Maria foi suficiente para manter o fornecimento de água para a população, mas também já foi iniciada a estratégia de reserva para o período seco de 2017. “Conseguimos sair de uma situação em que o nível da represa tinha se estabilizado para um pequeno, mas importante aumento da reserva de água”, explicou Amadeu Wetler.

No rio Jucu, a vazão do manancial continua acima da necessidade da população, o que permite manter suspenso o racionamento de água da região. A interrupção de um dia no abastecimento foi suspensa na região abrangida pelo rio no dia 07 de outubro.

O diretor acrescentou ainda que o uso racional da água deve se tornar um hábito contínuo da população e todos os setores da economia. “Toda atitude para economizar é importante e válida. É uma nova relação de valor que estamos construindo com a água”, disse.

Fonte: Folha Vitória