Governador sugere que prefeitos abortem promessas de campanha

Governador sugere que prefeitos abortem promessas de campanha

Nesta sexta-feira (11), em encontro realizado com os prefeitos eleitos e reeleitos, o governador Paulo Hartung sugeriu aos atuais e futuros gestores municipais que eles cancelem as promessas de campanhadesconectadas com a realidade socioeconômica“. Hartung afirmou ainda que a classepolítica precisa ser reinventada para estar mais próxima aos anseios da sociedade. O encontroaconteceu no Hotel Senac, na Ilha do Boi, em Vitória.

Acompanhei diversas campanhas eleitorais no Estado e vi que muita coisa prometida estádesconectada com a realidade atual. Enquanto governador, quero sugerir e até aconselhar aquelesque assumiram compromissos que não tem conexão com o contexto socioeconômico que estamosvivendo que peçam desculpas para a população e façam os ajustes que tenham que ser feitos. Émelhor fazer isso que adiar problemas. Todos os municípios terão que fazer contas e ajustes fiscais. É melhor fazer isso logo e manter a transparência e diálogo  junto à população“, alertou o governador.

O governador ressaltou ainda que o país vivência a prior crise econômica dos últimos 110 anos. Hartung sugeriu que os novos gestores mobilizem a sociedade em busca de boas práticas e açõesinovadoras na área da gestão pública. “Se conectem com a realidade da população e desapeguemdo mundo dos políticos. Vocês não estão sozinhos nesta jornada, estamos juntos. Estou àdisposição. Minha agenda está aberta para conversar com todos vocês. Além disto, apresentamoshoje projetos que têm interação com os municípios, com recursos garantidos. Ter os municípioscomo parceiros será bom para todos nós“, destacou.

Inovação

Criatividade, inovação, cooperação e parcerias também foram apontadas como desafios aos gestorespúblicos, durante o encontro em que temas relevantes para a gestão municipal, como planejamento, equilíbrio fiscal, desenvolvimento e gestão foram abordados, contribuindo para a qualificação dasadministrações públicas.

Convidada a falar para os participantes do evento, a secretária do Tesouro Nacional e ex-secretáriade Estado da Fazenda, Ana Paula Vescovi, apresentou dados sobre a situação fiscal do país, ressaltando o déficit da União, que chega a R$ 170 bilhões. “A receita líquida do país neste ano seráde R$ 1,071 trilhão, mas as despesas atingirão R$ 1,241 trilhão”, disse ela, afirmando que o Brasilvive a pior crise econômica da sua história republicana, e que a origem está no desequilíbrio dascontas públicas.

A secretária do Tesouro deixou claro que a crise é de todos, incluindo milhares de cidadãos brasileiros sem emprego, municípios, Estados e União. Ela ressaltou que a crise dos Estados é estrutural, destacando o peso das despesas com ativos e inativos. “Controlar despesa de pessoal é obrigação de todo gestor no Brasil. Hoje, quase dez Estados parcelam salários de seus servidores”, lembrou ela.

Ana Paula Vescovi também destacou a importância da aprovação da PEC do teto dos gastos públicos. “O que falam sobre a PEC em relação à Educação e à Saúde é falácia. Oitenta por cento das despesas da Educação, por exemplo, não entram na PEC. Com ela, teremos chance de recuperar a confiança na economia brasileira e ver o país voltar a crescer, de ter controle sobre a inflação”.

Planejamento

Secretário de Estado de Economia e Planejamento, Regis Mattos Teixeira destacou no encontro que o ponto de partida para uma boa gestão é um bom planejamento. E disse que um bom planejamento “é aquele que leve em conta a situação financeira do Governo do Estado, do município, do país; a capacidade de nossas instituições realizarem, e de se antecipem aos problemas que podem ser percebidos”.

Regis Mattos ressaltou que antes mesmo de o governador Paulo Hartung tomar posse, ainda no período de transição, em diálogo com a Assembleia e com os demais poderes, a atual gestão revisou o Orçamento do Estado, “trazendo-o para a realidade, cortando o que superestimado”. Esse corte, aplicado no Orçamento 2016, foi de R$ 1,3 bilhão.

O secretário explicou que, a partir do ajuste financeiro – que incluiu medidas de redução de custeio, foi feito um planejamento organizado, definindo quais eram os objetivos a serem alcançados, quais eram as principais diretrizes de Governo.

“A partir do planejamento, com as prioridades definidas, realizamos um gerenciamento intensivo, com foco em resultados e com disciplina em execução, para garantir que, efetivamente, o que foi planejado seja realizado”, disse Regis Mattos, que apresentou um painel resumido do conjunto de projetos e programas do Governo do Estado, com ênfase naquilo que tem conexão com o trabalho dos municípios. Entre os projetos apresentados estavam os relacionados à Escola Viva, às Unidades de Cuidado Integral à Saúde, à redução da violência, com queda na taxa de homicídios, o Ocupação Social, à construção de rodovias e à implantação de 56 barragens e do Sistema de Produção e Distribuição de Água do Rio Reis Magos.

O secretário disse aos prefeitos eleitos e reeleitos que, além de aplicarem medidas que resultem em equilíbrio fiscal e de terem prioridades claras, é necessário que suas gestões tenham criatividade, inovação, e que busquem cooperação e parcerias para a realização de projetos, não só com o Governo, mas com outras instituições.

O trabalho em rede, articulado com Estado e outras instituições, também foi destacado pelo diretor da MAiS Partners, Gabriel Renault Magalhães, um jovem empreendedor com trabalho reconhecido no país. Magalhães disse que há 50 anos o país não cresce em produtividade, considerando sua população economicamente ativa, mas frisou que a crise pode trazer oportunidade para que gestores cortem as ineficiências. E afirmou que o uso de novas tecnologias pode “empoderar empreendedores públicos”.

Também o diretor da Macroplan, Gustavo Morelli, falou sobre a importância de os gestores olharem de perto, fazerem o acompanhamento de dados, vendo onde há desperdício a ser contido. “A crise pode ser uma enorme oportunidade para se fazer as mudanças necessárias”, reforçou Morelli, durante o Encontro de Prefeitos, no qual também falaram os secretários da Saúde, Ricardo de Oliveira, e de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Camila Dalla Brandão, o vice-presidente da Confederação Nacional de Jovens Empresários, Júlio Vasconcellos, e o presidente da Federação Capixaba de Jovens Empresários, Luiz Felipe Coelho.

Fonte: Assessoria de Governo ES