Patrão dá marcha a ré no carro e mata filho do funcionário em Venda Nova do Imigrante

Patrão dá marcha a ré no carro e mata filho do funcionário em Venda Nova do Imigrante

Uma tragédia marcou o fim de semana de uma família em Venda Nova do Imigrante. Uma criança de um ano e oito meses foi atropelada em frente de casa pelo patrão do pai, que tinha ido ao local entregar o adiantamento do salário. O caso aconteceu na tarde do último sábado (15), no bairro Providência.

De acordo com informações da delegada Elisabete Zanoli, o pai da criança tinha pedido um adiantamento de salário para o patrão. “Por volta das 12h, quando fechava a oficina, o patrão procurou o funcionário para entregar o dinheiro, como já tinha saído, ele foi até a casa do pai da criança levar o adiantamento”, conta.

A oficina fica próxima à Delegacia de Venda Nova do Imigrante, e o patrão não quis deixar o funcionário sem o dinheiro. “Quando ele chegou na casa, chamou pelo funcionário, que desceu do prédio com a criança no colo. Eles ficaram conversando por 10 a 15 minutos. Nesse tempo, o pai continuava com a criança no colo”, continua Zanoli.

Após entregar o dinheiro, o patrão entrou no veículo, uma Toyota Hilux, e engatou a marcha ré. “Nesse momento esse ouviu um barulho e o pai gritou. Ele parou e quando desceu do veículo, a criança estava caída. O pai entrou em choque. Os dois colocaram a criança no carro e levaram até o Hospital Padre Máximo, mas o menino não resistiu e morreu”, ressalta.

Segundo a delegada, o laudo ainda não ficou pronto, e a polícia ainda não sabe se Rafael da Silva chegou com vida ao hospital ou se morreu à caminho. “O pai tinha colocado a criança na porta do prédio e nem ele e nem o patrão perceberam que a criança tinha saído. Foi uma fatalidade”, comenta Elisabete.

O patrão, que não teve o nome divulgado pela polícia, saiu do hospital e foi direto para a Delegacia. Acompanhado de um advogado e em estado de choque, ele prestou depoimento e foi liberado. Ele vai responder por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. “Ele prestou o socorro e foi rápido. Não teve nenhuma intenção no que aconteceu. Nessa semana vamos ouvir os pais e solicitar ao laudos do Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro para continuarmos com as investigações concluir o inquérito”, finaliza a delegada.

Fonte: Folha Vitória