Governo Casagrande reativa primeiro convênio suspenso

Casagrande dá ordem de serviço para segunda etapa de da reurbanização da orla da Praia Central, em Marataízes.

Celebrado em outubro, no governo Hartung, parceria para obra em Marataízes foi suspensa, revista e, agora, continuada pelo governo Casagrande

O governador Renato Casagrande (PSB) levou uma comitiva ontem pela manhã a Marataízes para assinar a ordem de serviço da segunda etapa da reurbanização da orla da cidade. A obra, de R$ 9,7 milhões, será possível graças a um convênio firmado em outubro pelo governo passado, suspenso por decreto baixado pelo atual governo e, agora, reativado pela gestão do socialista.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Marcus Vicente (PP), foi o primeiro aditivo após todos os convênios firmados nos últimos três meses de 2018 serem sustados pelo novo governo para reanálise . O decreto que impactou os convênios foi publicado no dia 2 de janeiro.

“O governo sustou através do decreto. Há cerca de dez dias, fez um aditivo. Agora, demos a ordem de serviço. É o primeiro. É realinhar as prioridades e o plano de trabalho. Agora, estamos reempenhando a obra no Orçamento de 2019. E vou pagando. É muito mais cauteloso fazer dessa forma”, afirmou o chefe da pasta de onde originalmente esse convênio de Marataízes foi celebrado. Segundo o Portal da Transparência, no dia 19 de outubro de 2018.

O governo Casagrande colocou sob suspeita os critérios usados pelo governo Hartung ao firmar convênios com municípios. O secretário de Governo, Tyago Hoffmann, chegou a dizer que a gestão anterior foi seletiva para aliados .
Os pouco mais de 30 dias entre a suspensão do decreto e a ordem de serviço, na avaliação de Marcus Vicente, não prejudicaram a previsão de entrega da obra, prevista para 18 meses. Ainda segundo ele, parte dos recursos já está depositada e os trabalhos começam amanhã.

Ao dar a ordem de serviço, Casagrande não deixou de alfinetar o governo passado. “É muito ruim para a população que representamos quando um governante deixa para governar nos últimos seis meses, porque a gente foi eleito para quatro anos”, disse, em discurso.

A FOTO
O prefeito de Marataízes, Tininho Batista (PDT), ornou o local do evento com uma faixa de agradecimento a Casagrande pela “importante obra” que estava sendo anunciada. Em janeiro, o pedetista chegou a devolver parte dos recursos repassados pelo governo, o que havia sido ordenado pelo decreto dos convênios.

No palco com o governador, em clima de festividade, deputados estaduais, deputados federais, membros de diferentes escalões do Poder Executivo e autoridades locais.

“A administração pública serve para melhorar a vida das pessoas. Não adianta nada a gente guardar dinheiro, se a segurança pública e a saúde estão desorganizadas, se tem 60 mil jovens que saíram da sala de aula nesses últimos quatro anos. Não adianta nada a gente guardar dinheiro se uma obra que devia estar pronta há dois anos está começando agora”, discursou Casagrande.

 

Fonte: gazetaonline.com.br