Artigo de OpiniãoPor Fabiano Peixoto

Este título do meu Artigo de Opinião é o retrato do sentimento dos vereadores e da população em geral de Anchieta, que vem assistindo um dos maiores episódios da má fadada transação que envolveu dívidas milionárias da cobrança de IPTU da Samarco Mineração com o município e uma Associação de Procuradores de Anchieta.

Sobre muitos aspectos, até por indícios de “Caixa 2 de Campanha” (como cita o vereador presidente da Comissão, Geovane Meneguelle), o tema ainda mexe com os sentimentos, principalmente daqueles que estão no poder para fiscalizar, diante das covardias e das ações negativas junto à população que mais carece de apoio do Poder Público Municipal. O acordo, literalmente, põe em cheque a narrativa da atual gestão junto à população do município, principalmente, quando a atual gestão vem destacando eventuais medidas para economizar recursos e conseguir executar obras, ao mesmo tempo em que abre mão (indícios de “Caixa 2 de Campanha”) de R$ 70 milhões de receita na transação com a Samarco.

- Publicidade -

Atentos e revoltados com o modo e ações que foram conduzidas as negociações (sem passar pela Câmara de Vereadores) das dívidas da Samarco com o município, grupo de vereadores não consegue entender a atual gestão. Quem me dera à população!

O que estamos destacando é simples, mas não tão assim, quando se unem os discursos das ações. Vejamos: com base na recém-ordem de serviço assinada (24/10), do bairro Cantagalo, sede do município, onde 12 ruas foram comtempladas com 18 mil metros quadrados de pavimentação e drenagem, mais construção de três mil metros (3 quilômetros) de calçadas, com investimentos de R$ 3.711,95 milhões. Podemos em um comparativo, em que se fosse investida esta perda de R$ 70 milhões, teria executado obras para cerca de 20 bairros inteiro com drenagem e pavimentação, ou seja, seriam cerca 240 ruas, 360 mil metros quadrados de pavimentação e drenagem, além de 60 mil metros (60 quilômetros) de calçada.

Triste é assistir e ouvir desabafos da população nas redes sociais, como aconteceu nas semanas de fortes chuvas, onde diversos bairros e comunidades ficaram ilhadas, literalmente debaixo d’água e a população no meio da lama, enquanto a prefeitura, junto aos seus procuradores (que receberam R$ 4.255 milhões – maior que o investimento total das obras do bairro Cantagalo), abriram mão de uma dívida R$ 70 milhões, com cerca de 20 anos de luta na justiça pela cobrança, onde os mesmos não aceitaram nenhum acordo no passado, e hoje, então (indícios de “Caixa 2 de Campanha”), abrem mão desta receita que poderia transformar vidas humanas de muitas comunidades do município. Triste! Com certeza não pensaram no município, tampouco na população. Essa é a mais pura verdade!

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.