Quebra pau na sessão marcada para eleger o novo presidente da Câmara de Guarapari

O cenário político de Guarapari começou o dia agitado.  O atual presidente da Câmara, Wendel Lima, publicou nesta manhã um edital cancelando a sessão marcada para às 10 horas para votar as chapas que concorreriam para assumir a presidência pelos próximos dois anos.

Mas os vereadores que fazem parte do grupo dissidente resolveram não acatar o novo edital e foram para a Câmara realizar a sessão que já estava marcada, com o argumento que o edital deveria ter sido publicado com 24 horas de antecedência para ter validade.

Quem assumiu a sessão foi o segundo vice-presidente Thiago Paterlini. Até um chaveiro precisou ser chamado para abrir o plenário para os moradores, já que o funcionário responsável pelas chaves não foi encontrado.

Um chaveiro precisou ser chamado para abrir o portão do plenário. foto: João Thomazelli/Portal 27

O sessão teve início com onze vereadores presentes e com Paterlini explicando os motivos da decisão de realizar a sessão. “O parlamento não pode ser tratado desta forma e muito menos os moradores desta cidade. A democracia tem que prevalecer e por isso vamos dar continuidade à sessão para eleger a mesa diretora para o próximo biênio”.

O vereador se referia à tentativa de derrubar a sessão, já que o atual presidente não tinha votos suficientes para se reeleger. Além de Wendel Lima, não compareceram à sessão os vereadores Dito Xaréu, Camila Rocha, Rosangela Loyola, Sandro Bigossi  e Zé Preto.

Sem a presença destes vereadores, mas com o número suficiente para dar prosseguimento aos trabalhos, a chapa encabeçada por Ênis Gordinho, com o nome de Parlamento Forte, recebeu o voto dos 11 vereadores presentes e foi considerada vencedora do pleito.

Tentamos falar com o atual presidente da Câmara e com a assessoria da Casa de Leis, mas não obtivemos respostas até a publicação desta reportagem.

 

Fonte: Portal 27 – Reportagem de João Thomazelli

Confira também!