Entrevista: Alexandre Assad é uma nova opção para Anchieta

O jornalista Fabiano Peixoto recebe o vereador de Anchieta Alexandre Assad para uma entrevista.

Alexandre é natural de Brasília e morador de Anchieta desde 1974, formado em Publicidade e Propaganda e Gestão em Comércio Exterior. Atuou em várias empresas privadas, empreendedor, passou pela pasta de Secretário Municipal de Turismo e Desporto – criando a primeira lei de incentivo ao atleta e lei de incentivo a blocos carnavalescos -, Diretor de Eventos e Gerente Municipal de Desenvolvimento Econômico. Nas eleições de 2016, Alexandre Assad foi eleito vereador com 851 votos, e desde então tem se mostrado um dos mais atuantes vereadores daquele Legislativo Municipal.
Em seu primeiro mandato Alexandre coleciona diversas proposições que chamam a atenção da população devido aos variados temas relacionados ao desenvolvimento econômico e social, geração de emprego e renda, valorização dos servidores públicos, tecnologia, esporte e lazer, turismo, pesca e agricultura, proteção e defesa dos animais, portadores de necessidades especiais entre outros. Porém, sobre o tema transparência, o vereador se destaca quando cobra informações e prestação de contas de convênios, contratos de locação, designação de recursos e licitações; por exemplo, é autor do projeto de lei que dispõe sobre a gravação em áudio e vídeo das sessões de licitações públicas pelo Poder Executivo Municipal de Anchieta.

Fabiano Peixoto: Confiante e com um robusto currículo de ações e participações acumuladas, Alexandre Assad acredita que pode chegar à cadeira do executivo pelas transformações já demonstradas pelo eleitor, tanto a nível nacional, estadual, e ano que vem municipal.

Alexandre Assad: O cenário de hoje é de muitas decepções com o atual gestor municipal que foi eleito numa perspectiva muito grande de mudança, por ser um jovem, sem mandato, e acabou decepcionando. O executivo faz o mesmo modelo da velha política no município, sem ousadia, sem visão diferenciada de mundo. A atual gestão, com todo respeito, é o feijão com arroz. Anchieta
precisa hoje de uma visão diferenciada, ousada, que tenha coragem. Acredito
que, com toda a humildade, carrego estas características e que estou apto, neste momento, para implantar uma nova dinâmica na gestão municipal.
Vejo o desespero da população que nitidamente já compreende que a atual gestão governa para eles mesmos, como exatamente aconteceu no passado, não muito distante.

Fabiano Peixoto: Fale da sua possível filiação no partido PSL.

Alexandre Assad: Na verdade, ainda não pude me filiar, tenho que esperar o momento certo por questões de fidelidade partidária, mas recebi sim o convite do Partido PSL para um grande projeto, onde meu nome poderá disputar as eleições de 2020, para a vaga a cadeira do executivo municipal de Anchieta. Estou ainda no PRB, na qual fui eleito, tenho muito carinho e respeito com toda a diretoria estadual. O PSL é hoje o maior partido político do Brasil, quem mais tem fundo partidário e horário político nas rádios, tem uma bancada de quatro deputados estaduais, uma deputada federal, e é um partido que me convidou porque acredita que meu nome pode chegar. Tenho uma boa relação também com o PSL, hoje representado no Estado pelo ex-deputado federal Carlos Manato, vamos aguardar. Quero aproveitar para convidar a população e aos interessados para o evento de posse da nova executiva municipal do Partido PSL a ser realizado no dia 04 de outubro, às 19h na Câmara de Anchieta.

Fabiano Peixoto: Quando você assumiu a Secretaria Municipal de Turismo, qual era orçamento financeiro daquela época?

Alexandre Assad: Naquela época, o município tinha cerca de 15 a 20% do orçamento que tem hoje, mesmo assim colocamos Anchieta no calendário nacional de eventos. Realizamos naquele período a maior Festa em comemoração aos 400 anos da cidade, foi a maior em toda a sua história, criamos o 1ª Festival de Frutos do Mar em Iriri. Anchieta virou circuito dos grandes shows com presença de vários artistas da TV Globo. Tivemos o maior veraneio com 40 mil pessoas em Iriri e lotávamos Castelhanos, isso de 1997 à 2004, foi a época que o município deslanchou. Turismo mesmo em Anchieta foi nesta época. Mas, infelizmente, as gestões que vieram depois não deram continuidade, não acreditaram no turismo como atividade de desenvolvimento sustentável e geradora de emprego e renda. Os ex-prefeitos que vieram depois não tiveram esta visão, podem ter sido até bons prefeitos, mas no turismo foram muito fracos. Um bom exemplo, o município vem perdendo o gancho da canonização de São José de Anchieta.

Fabiano Peixoto: Você foi rotulado como oposição logo que assumiu, explique.

Alexandre Assad: Eu assumo o papel de oposição, mas faço uma oposição coerente e que não quero ver o mal do município. Todos os projetos de leis do Executivo que foram para a Câmara de Vereadores que enxerguei serem benéficos para Anchieta, votei favorável. Inclusive, acredito que oposição é necessária no processo democrático de direito, é a oposição que vai apontar para o gestão onde estão as falhas para poder corrigi-las.

Fabiano Peixoto: Deixe uma mensagem para a população de Anchieta.

Alexandre Assad: A gente sempre manteve esta postura de simplicidade, humildade, de acesso a todos, sou acessível, atendemos, conversamos na rua. Não somos daquelas pessoas que quando chegam ao poder mudam, costumo dizer que não mudamos, acho que isso é uma qualidade, as pessoas enxergam isso como qualidade. Deixo aqui as minhas considerações e coloco o meu gabinete a disposição de toda a população, claro, que atenderemos dentro das nossas possibilidades.